pilha de livros

Livros lidos em 202010 min leitura

Lista dos livros que terminei de ler em 2020, com comentários sobre cada um deles.

Criei uma lista com os livros que terminei de ler em 2020, junto com alguns comentários em cada um, para dar uma visão geral do quanto consegui ler durante o ano passado. O objetivo desta lista é me estimular a ler mais neste ano e recomendar algum livros que possam ser interessantes para você também.

Para alguns dos livros abaixo, durante as próximas semanas vou compartilhar neste blog os trechos que marquei neles, assim como algumas reflexões ou anotações.

Remote – Office not required, por Jason Fried e David Heinemeier Hansson

A pandemia forçou muitas empresas a mudarem seu modelo de trabalho para totalmente remoto. A empresa que trabalho foi uma delas. Por isso achei que seria uma boa ideia reler este livro para reforçar as boas práticas do trabalho remoto e ver se as dicas ainda eram relevantes (spoiler: eram sim). Depois da leitura, fiz algumas anotações dos itens que mais chamaram a minha atenção e publiquei elas no link abaixo.

Robbie, de Isaac Asimov

Esta foi a primeira história sobre robôs do autor. O livro é uma edição limitada que veio junto com a Omelete Box, contendo uma carta do Asimov no final do livro, que traz mais detalhes sobre a relação dele com robôs. Gostei bastante deste conteúdo adicional e fiquei com vontade de ler mais obras do autor.

Por que fazemos o que fazemos?, de Mario Sergio Cortella

Achei o título e a premissa do livro muito interessante, pois questiona o propósito do trabalho assalariado. Infelizmente minha expectativa sobre o seu conteúdo não foi realizada, mas encontrei alguns questionamentos e reflexões interessantes.

Os segredos da mente milionária, de T. Harv Eker

Um dos meus objetivos de 2020 era começar a estudar sobre educação financeira e este acredito que foi o meu primeiro livro sobre o assunto. Gostei muito do conteúdo e do modelo apresentado de “arquivos de riqueza”. Só me incomodou bastante o fato do autor estar toda hora “vendendo” seu seminário.

Pai Rico Pai Pobre, de Robert T. Kiyosaki e Sharon L. Lechter

Confesso que eu tinha um certo preconceito com este livro, achava que era mais um entretenimento superficial sobre como deveria ser uma boa educação (note que eu nem sabia direito que se tratava especificamente sobre educação financeira). No entanto, vi várias pessoas que sabiam muito mais sobre finanças do que eu recomendarem o livro. Então decidi abrir minha mente e lê-lo. Ainda bem que fiz isso, pois estava completamente equivocado! 

O livro possui várias lições parecidas com os “arquivos de riqueza” do livro do T. Harv Eker, mas o fato delas fazerem parte da narrativa biográfica do autor, tornaram os ensinamentos muito mais fáceis de assimilar e interiorizar. Mesmo depois de várias semanas, ainda lembro vividamente de certos trechos e sinto que minha maneira de pensar continua se transformando por conta dessa obra.

Recomendo-o sem pensar duas vezes para qualquer pessoa que queira iniciar seus estudos sobre finanças.

Minimalismo Digital, por Cal Newport

Comecei a fazer alguns experimentos com limitações de acesso às redes sociais faz alguns anos (vou escrever mais sobre isso em breve) e sempre flertava com a ideia de deixar de participar delas. Ano passado dei um grande passo saindo do Facebook e do Instagram e decidi pesquisar mais sobre este movimento. Quando encontrei este livro, pensei que era um compilado de técnicas para limitar o uso de dispositivos eletrônicos, com algumas histórias e depoimentos. Mas acabou sendo muito melhor que isso!

O autor se aprofunda bastante no aspecto psicológico do porquê ficamos tão facilmente viciados em redes sociais, sites e aplicativos, sugerindo maneiras de minimizar os aspectos negativos e potencializar os positivos. O minimalismo digital está mais para um estilo de vida do que uma lista de truques. Recomendo o livro para todos!

Anything you want – 40 lessons for a new kind of entrepreneur, por Derek Sivers

Conheci o livro por conta do vídeo 3 Books that Changed my Life do Ali Abdal e fiquei bastante curioso. Depois de assistir uma entrevista com o autor e ler sobre o Derek no livro Ferramentas dos Titãs, do Tim Ferris, decidi que leria o livro.

Ele é um livro muito curto (li em menos de 4 horas), mas é muito profundo, divertido e gostoso de ler. Ele me fez refletir sobre minha jornada como empreendedor e como tomo decisões no âmbito profissional e pessoal. Se for para resumir o livro em uma frase, seria: o processo de decisões pode ser bem mais simples e efetivo se utilizarmos nosso bem estar como bússola.

Maldita, de Chuck Palahniuk

Este é o segundo volume da série iniciada no livro “Condenada”, sobre uma menina de treze anos chamada Madison Spencer que foi para o inferno. Gostei bastante do primeiro livro e mesmo com algumas ideias sensacionais no segundo livro (que infelizmente não posso compartilhar por serem spoilers),  achei a leitura bem cansativa. Acredito que parte do motivo disto são as inúmeras referências à cultura dos astros hollywoodianos e de onde eles moram, da qual não tenho quase nenhuma familiaridade. Por conta disso, devo ter ficado por fora de muitas piadas e ácidas críticas sociais, traço característico do autor.

A história deveria ser uma trilogia, mas este último volume foi lançado em 2013 e parece que não vai ter uma continuação. Se tiver, a história não me empolgou o suficiente para saber como irá terminar.

Por que nós dormimos, por Matthew Walker

Soube do livro através de uma entrevista com a artista Amanda Palmer, onde ela disse que esse foi o livro que teve o maior impacto na sua vida nos últimos quatro anos. Fiquei bem curioso e gostaria de tê-lo lido antes, pois minha visão sobre o ato de dormir mudou completamente!

Eu achava que dormir era de certa forma uma perda de tempo. Por isso tentava ficar o máximo possível acordado, muitas vezes só indo dormir quando literalmente apagava de tanto sono. Apesar de perceber os efeitos negativos de uma noite com poucas horas de sono, acreditava que o impacto era pequeno e que sempre podia ser compensado em outros dias. Fiquei estupefato em aprender que era completamente ignorante sobre o tamanho da importância de dormir e os efeitos irreversíveis que a falta de sono causam no nosso corpo (spoiler: não existe um “banco de horas de sono”).

Por conta deste livro, mudei completamente minha relação com o ato de dormir. Criei uma rotina diária de sono e tomo vários cuidados em relação ao que pode afetar meu sono.

Einstein – Sua vida, seu universo, de Walter Isaacson

Fui atraído para o livro mais por conta do autor, que escreveu a biografia do Steve Jobs, Leonardo da Vinci e dos inovadores da computação e internet – livros que tive dificuldade de parar de ler, pois eram muito interessantes.

Como parte da minha rotina de sono, decidi ler um livro de ficção antes de dormir. Sei que a biografia de Einstein não se encaixa nesta classificação, mas por conta do seu conteúdo (teoria da relatividade, física quântica, …) estar tão distante do meu dia a dia, foi como se eu estivesse viajando para um outro mundo totalmente novo e fascinante. Isto só costuma acontecer quando leio ficções.

Foi muito interessante conhecer a trajetória do Einstein como o primeiro “cientista pop” da era moderna, assim como os detalhes da sua vida pessoal. Além disso, fiquei bem reflexivo ao perceber vários paralelos da situação do mundo um pouco antes do nazismo subir ao poder, com o que está acontecendo nos últimos anos.

Hacking Growth, de Sean Ellis e Morgan Brown

Comecei a ler o livro para aprender mais sobre marketing e me surpreendi. Tinha um certo receio em relação à técnicas de growth hacking, pois pareciam mais atalhos (muitas vezes bem duvidosos) para gerar crescimento à uma empresa. Mas os autores estavam cientes deste preconceito e deixaram claro que a estratégia está bem longe de ser isso. Ela é na verdade mais parecida com um método científico, onde se tem várias hipóteses que são testadas para ver se são verdadeiras ou não. E o segredo está em testar o máximo de hipóteses o mais rápido possível, medindo seus resultados de forma precisa e investindo naquelas que dão certo.

O livro tem um bom balanço entre a parte teórica e prática, além de trazer várias referências a estudos e ferramentas. Em 2021 quero colocar alguns desses conhecimentos em prática, tanto no trabalho quanto nos meus projetos pessoais.

Hábitos Atômicos, de James Clear

Criar novos hábitos saudáveis e largar hábitos ruins é um grande desafio. Vi várias recomendações sobre este livro e achei muito interessante a premissa de que pequenos hábitos podem gerar grandes resultados (daí o nome “atômicos” do título). A leitura é bem fácil e gostosa. No final de cada capítulo, há um resumo com os itens mais importantes, reforçando o conhecimento aprendido e facilitando uma futura consulta. Achei este detalhe muito prático.

Acredito que agora tenho bem mais clareza do processo de criação (e destruição) de hábitos e sei como utilizar vários atalhos para isso. Baseado nesses aprendizados, criei um modelo gratuito de contrato de hábito semanal para me ajudar a criar novos hábitos em 2021.

O gestor eficaz, de Peter F. Drucker

Já vi este livro sendo citado em vários lugares e o seu autor é uma das principais referências modernas de produtividade. O título do livro pode parecer meio antiquado hoje em dia, mas seu conteúdo continua muito atual. O termo gestor é utilizado para se referir a qualquer um cujo principal trabalho é intelectual. O autor faz várias reflexões sobre o que é necessário para ser eficaz e traz uma base sólida de conhecimentos sobre o assunto.

Fiquei (e continuo) refletindo bastante sobre o que aprendi na leitura. Desde lá, uma pergunta que estou constantemente me fazendo é: estou gerando valor com o meu trabalho?

A arte da gestão, de Camille Fournier

Este livro foi recomendado por um amigo logo que soube que assumi um cargo de liderança no trabalho. Se for resumir a obra em uma frase, ela é um guia prático para líderes do setor de tecnologia. O conteúdo vai desde o início da carreira como colaborador, passando por todos os estágios até o cargo de CTO.

Esta é uma leitura obrigatória para todos que trabalham no setor de tecnologia, mesmo que não aspirem a cargos de liderança. Aliás, este é um dos itens explorados no livro: o cargo de liderança não é uma etapa do plano de carreira e sim, um conjunto de atribuições que um engenheiro pode assumir quando chega ao nível sênior, podendo ou não incluir a gestão de pessoas.

Imagem padrão
Daniel Kossmann
Daniel Kossmann é graduado em Magia Ciência da Computação pela UFPR e (in)formado em jornalismo cultural, desenho e tradução pela Universidade Kósmica, tendo obtido com louvor o título de Kosmonauta. Nas horas vagas, gosta de viajar para universos paralelos. Se você gostou dos meus textos, me ajude a escrever mais.
Artigos: 90

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo

Faça parte do Kosmos!

Se inscreva na minha newsletter intergalática e receba conteúdo exclusivo!