cinco pessoas com laptop sentadas em uma mesa

Projetos para aprender a desenvolver no WordPress8 min leitura

Uma lista de projetos práticos para você aprender a ser um bom desenvolvedor WordPress.

Acredito que a melhor maneira de aprender algo, é colocando na prática o conhecimento enquanto se está aprendendo. Para isso, recomendo a criação de um projeto que seja publicamente disponível, assim outros poderão aprender também. Os desafios para implementar o projeto servirão como roteiro para os tópicos a serem aprendidos.

Como parte da iniciativa para ser um bom desenvolvedor WordPress, fiz uma lista de projetos para ajudar nessa jornada. O mais legal de tudo é que conforme você for progredindo, já estará ajudando a comunidade e também aprimorando seu currículo.

Ter um blog pessoal

Uma ótima maneira de fixar uma nova informação é escrevendo sobre ela. Que tal fazer isso de maneira que também possa ajudar outras pessoas? Um blog pessoal é o meio perfeito para praticar e compartilhar este tipo de aprendizado.

Sei por experiência própria que muitas vezes o mais difícil é dar o primeiro passo, então no início sugiro que você foque apenas na criação conteúdo, sem se preocupar com o resto. Por isso recomendo utilizar um tema padrão do WordPress (como o Twnety Twenty) e a hospedagem mais simples que houver (como o plano gratuito do WordPress.com). Lembre-se: Vale a pena sacrificar a personalização do seu blog para poder criar a rotina de produzir conteúdo.

O meu processo costuma ser criar um post com o tópico que estou aprendendo e ir escrevendo enquanto vou progredindo. Penso no conteúdo como uma documentação para que outra pessoa possa seguir se quiser aprender sobre este assunto também.

Uma das partes mais valiosas deste conteudo, é a explicação de como consegui resolver problemas que vou encontrando no caminho. Isto é bem útil também para você mesmo poder consultar mais tarde quando precisar fazer algo parecido.

Uma vez que você criou seu blog pessoal, já pode começar a escrever sobre os próximos itens.

Traduzir um plugin ou tema para português

Ajudar na tradução é o jeito mais fácil e rápido de contribuir na comunidade do WordPress, pois não exige que nenhuma instalação ou configuração seja feita no seu computador. Você só precisa ter uma conta no WordPress.org, estar familiarizado com as diretrizes de tradução e saber os idiomas a serem traduzido (normalmente é do inglês para o português).

Tudo que você lê em português dentro do WordPress, é o resultado do trabalho voluntário realizado pela comunidade brasileira. Ele é essencial para fazer o WordPress ser uma ferramenta mais acessível para todos, pois o inglês (ou outro idioma estrangeiro) pode ser uma barreira grande para muitos usuários no Brasil.

Recomendo também participar do canal #traducao no Slack da comunidade brasileira para ver, aprender e tirar dúvidas sobre como a tradução é feita.

Referências adicionais

  1. Como funciona a tradução no WordPress, por Felipe Elia;
  2. GlotPress e outras ferramentas para traduzir (n)o WordPress, por Sheila Gomes;
  3. Como traduzir temas e plugins do WordPress, por Rafael Funchal.

Corrigir bugs no código do WordPress

A ideia de encontrar e corrigir problemas em um sistema tão grande como o WordPress, pode ser bem assustador à primeira vista. A própria comunidade sabe muito bem que esta é uma grande barreira, por isso criou uma lista de bons primeiros bugs para quem está iniciando. Eles são itens bem simples de corrigir, que servem mais como um pontapé inicial para futuras colaborações.

Este projeto está como o segundo desta lista de propósito, pois para corrigir um bug, é necessário que você siga os padrões de código do WordPress e, na maioria dos casos, tenha ambiente de desenvolvimento local para testes. Depois de corrigido, será necessário enviar um patch para o repositório SVN, com uma mensagem de commit em inglês, que irá passar por um processo de avaliação, podendo ou não ser aceito na primeira tentativa. Para ajudar nesse processo consulte o guia oficial para corrigir bugs no WordPress, lá tem uma explicação detalhada de cada item que citei.

Já deu para ver que já tem bastante coisa neste projeto, mas praticamente todas elas são essenciais para você poder trabalhar nos próximos. Então, mão na massa!

Referências adicionais

  1. A Developer’s Guide to Contributing to WordPress Core, por Ian Jones.

Criar um plugin e disponibilizá-lo no repositório oficial

Agora que você já mexeu um pouco com o código do WordPress, chegou a hora de criar o seu primeiro plugin. Este é um projeto legal pois pode ser algo super simples, como o primeiro plugin do Marcos Alexandre que tem apenas três linhas.

Como requisito deste projeto, você deve ter um ambiente de desenvolvimento WordPress totalmente funcional. Recomendo também que o WP-CLI faça parte dele. Depois é necessário aprender como funciona um plugin no WordPress, seguir os padrões de código, escrever uma documentação e por fim enviar ao repositório oficial com o SVN.

Para facilitar o trabalho inicial, é possível utilizar um comando do WP-CLI que cria a estrutura básica do plugin para você.

Referências adicionais

  1. Como criar seu primeiro plugin para o WordPress, por Marcos Alexandre;
  2. Atom, Linters, PHP Code Sniffer e WP Coding Standards, por Felipe Elia;
  3. Tipos de plugin do WordPress, por Felipe Elia.

Criar um bloco e disponibilizá-lo no repositório oficial

Desde a versão 5.0, lançada em dezembro de 2018, o WordPress utiliza o editor de blocos (também conhecido como Gutenberg), como interface padrão de edição de conteúdo. Criar um bloco é uma ótima maneira de se aprofundar nesta mudança.

No momento o único jeito oficial de disponibilizar um bloco do WordPress é através de um plugin, que agora você já sabe criar ????. No futuro haverá um diretório somente para blocos e o processo poderá ser mais simples.

Sugiro fazer o mesmo projeto utilizando várias metodologias diferentes, começando pela mais fácil:

  1. Utilizar um plugin para criar blocos;
  2. Usar um framework para criação de blocos;
  3. Fazer diretamente em React.

A ideia é ter um resultado o mais rápido possível, para aos poucos implementar soluções que exigem mais conhecimento.

Referências adicionais

  1. WordPress e Gutenberg: Como criar o seu primeiro bloco, por Felipe Elia;
  2. Criando seu próprio bloco Gutenberg, por Fellyph Cintra;
  3. Gutenberg: criando blocos com o Carbon Fields, por Felipe Elia;
  4. Internacionalização com blocos Gutenberg, por Fellyph Cintra.

Criar um tema e disponibilizá-lo no repositório oficial

Deixei este por último, pois é o mais trabalhoso. Se você fez todos os outros projetos acima, já vai estar familiarizado com vários dos requisitos e pode focar nos itens relativos à criação do tema.

É muito importante que o tema seja compatível com o editor de blocos e utilize o Personalizar (Customizer) como interface para as configurações. Ambos são padrões do WordPress.

Para não ficar um projeto com muitas opções de configuracōes, sugiro pensar no conceito de Produto Mínimo Viável (MVP) e fazer um tema específico para um nicho. Alguns exemplos:

  • Blog simples;
  • Portfólio para designers;
  • Site institucional para um nicho específico (ex: advogados, dentistas, nutricionistas, …).

Dependendo do tipo de tema que você quiser criar, será necessário utilizar Custom Post Types (CPT) e é importante lembrar que eles devem estar dentro de um plugin, não do tema.

Se este for o seu primeiro tema, não recomendo criar um para loja virtual. Isto exige lidar com vários itens específicos de e-commerce, que irão tornar o projeto bem mais trabalhoso.

Referências adicionais

  1. O que seu tema WordPress NÃO deve ter, por Felipe Elia;
  2. Plugin de sniffer para temas e testes de acessibilidade automatizados, por Felipe Elia;
  3. Como tornar seu tema WP 100% compatível com o editor de blocos/Gutenberg, por Felipe Elia.

Como ter tempo para fazer os projetos acima?

Você pode estar pensando que a ideia de fazer tudo isso é muito legal, mas o grande problema é achar tempo para colocá-los em prática. Pelo menos essa foi a primeira coisa que eu pensei. Para isso, vou utilizar o conceito de projetos tartarugas, onde o importante é dar pequenos passos várias vezes, em vez de um grande passo de uma só vez.

Esta ideia vai em paralelo ao movimento Five for the Future da própria comunidade do WordPress, que sugere você (ou sua empresa) dedique 5% do tempo para o desenvolvimento do WordPress.

Finalizando

Este guia está longe de ser algo completo e estático, a ideia é ser mais uma fonte de inspiração para transformar o desejo de ser um melhor desenvolvedor WordPress em realidade.

Você também pode me ajudar deixando nos comentários suas opiniões e referências adicionais para serem adicionadas no guia.

Default image
Daniel Kossmann
Daniel Kossmann é graduado em Ciência Magia da Computação pela UFPR e (in)formado em jornalismo cultural, desenho e tradução pela Universidade Kósmica, tendo obtido com louvor o título de Kosmonauta. Nas horas vagas, gosta de viajar para universos paralelos. Se você gostou dos meus textos, me ajude a escrever mais.

2 Comments

  1. Ótimo post! É sempre muito bom ver um conteúdo assim para facilitar a vida da galera.

    Ah, obrigado por citar um dos meus posts <3

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo

Faça parte do Kosmos!

Se inscreva na minha newsletter intergalática e receba conteúdo exclusivo!